Home > Blog > É o amor. Por Arruda Bastos

É o amor. Por Arruda Bastos

Muitas vezes não é fácil expressar um sentimento “que mexe com minha cabeça e me deixa assim, que faz eu pensar em você e esquecer de mim, que faz eu esquecer que a vida é feita pra viver”. Os versos são da música “É o amor” de Zezé di Camargo e dela vou me apropriar na crônica de hoje como forma de homenagear a minha querida e amada esposa Marcilia.

O tempo passou com uma velocidade tamanha que faz até parecer que foi ontem que nos conhecemos. Quando olhamos para trás e miramos na estrada da vida, já são 43 anos de caminhada, amor, cumplicidade, fidelidade e respeito. “Eu não vou negar, você é meu doce mel, meu pedacinho de céu, eu não vou negar”.  Não vou negar que durante todo esse tempo nosso amor só aumentou.

Mas o meu artigo de hoje não é para falar do meu amor por Marcilia, que é imensurável, e sim para eternizar nessas linhas as suas inúmeras qualidades como mulher, esposa, mãe e avó. Conheci minha amada nos bancos da Universidade Federal do Ceará. Foi amor à primeira vista e típico daqueles casos que o destino e o cupido conspiraram juntos para o nosso primeiro encontro e cruzar de olhares.

Depois desse dia, “você é minha doce amada, minha alegria, meu conto de fada, minha fantasia, a paz que eu preciso pra sobreviver”. Vivemos uma bela história de amor que, em pouco tempo, deu frutos e formamos a nossa linda família, sempre pautada na verdade e nos exemplos que recebemos de nossos pais e na nossa fé inabalável em Deus.

Como há muito tempo já não somos dois e sim um único ser, estou sempre falando da nossa união e tendo dificuldade de individualizar e falar da grande companheira que Deus me deu. Aqui apelo novamente para os versos que dizem “Eu sou o seu apaixonado de alma transparente, um louco alucinado, meio inconsequente, um caso complicado de se entender”, principalmente para quem não encontrou ainda o seu verdadeiro amor.

Minha amada é o que se pode dizer, uma jóia rara, difícil mesmo de se encontrar. Ela associa uma personalidade forte e decidida com a ternura e a beleza de uma rosa, de pétalas frágeis e perfumadas. Como na música, “Eu não vou negar, sem você tudo é saudade, você traz felicidade, eu não vou negar”. Com tantas qualidades, como não se apaixonar, sentir e cultivar esse lindo amor no canteiro fértil da nossa existência? É o amor!

Fazendo analogia, digo que Marcilia é como uma rosa e todos os seus predicados. Ela é a uma das flores mais lindas do mundo, a mais desejada entre as que exalam um perfume delicioso. Só tem uma diferença entre Marcilia e elas. Rosas existem mais de 100 tipos diferentes e elas são encontradas em diversas cores, vermelha, rosa, branca e amarela, Marcilia é uma só e única.

Desculpem os meus leitores, mas estou meio apressado para terminar essa minha crônica, haja vista que hoje é um dia muito especial: é o natalício da minha amada e os versos de Zezé di Camargo já utilizei quase todos, além disso, “Eu não vou negar que sou louco por você, tô maluco pra te ver, eu não vou negar”. O tempo que levei nessa madrugada, escrevendo essa crônica, subtraí do nosso leito de amor e já estou com saudade. É o amor!

Para concluir, digo utilizando a última estrofe da música que peguei emprestado como inspiração: “É o amor, que veio como um tiro certo no meu coração, que derrubou a base forte da minha paixão, e fez eu entender que a vida é nada sem você. Parabéns, meu amor e um grande beijo.

Arruda Bastos é médico, professor universitário, escritor, radialista, ex-secretário da saúde de Ceará, membro da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores e arriado os quatro pneus e o estepe pela minha amada Marcilia.

Anexos:

1) Letra da música “É o amor” de Zeze di Camargo.

Eu não vou negar que sou louco por você

Tô maluco pra te ver

Eu não vou negar

Eu não vou negar sem você tudo é saudade

Você traz felicidade

Eu não vou negar

Eu não vou negar você é meu doce mel

Meu pedacinho de céu

Eu não vou negar

Você é minha doce amada

Minha alegria

Meu conto de fada

Minha fantasia

A paz que eu preciso pra sobreviver

Eu sou o seu apaixonado de alma transparente

Um louco alucinado meio inconsequente

Um caso complicado de se entender

É o amor

Que mexe com minha cabeça

E me deixa assim

Que faz eu pensar em você esquecer de mim

Que faz eu esquecer que a vida é feita pra viver

É o amor

Que veio como um tiro certo no meu coração

Que derrubou a base forte da minha paixão

E fez eu entender que a vida é nada sem você.

2) Link da música “É o amor” no YouTube: 

3) Leia também: O amor do eterno namorado

 

Arruda Bastos
Médico, professor universitário dos cursos de Medicina e Enfermagem, especialista em Gestão em Saúde e Saúde Pública, escritor, radialista, ex-Secretário da Saúde do Estado do Ceará e coordenador do Movimento Médicos pela Democracia.
http://www.portalarrudabastos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *