Home > Colunistas > Sérgio Cunha: Atitude para ser eterno

Sérgio Cunha: Atitude para ser eterno

Os brasileiros vivem em média setenta e cinco anos, apesar da expectativa de vida ter avançado bastante, o ato de abrir os olhos para vida e fechar os olhos para morte, para algumas pessoas é muito pouco tempo para fazer o que tem de ser feito. “Para algumas pessoas”, por qual razão falo assim? Por uma razão simples a maioria das pessoas estacionou em um modelo improdutivo de vida e permanece na zona de conforto: Aquele patamar onde tudo está bom, meu salario é suficiente para viver, minha vida esta boa do jeito que está, deixando o pouco tempo que nos é premiado ir para o ralo, sem volta.

Com a morte, sem dúvida, desaparece o corpo e o ente se torna esquecido. Mas, o ser humano também pode ser eterno quando marca sua passagem entre os vivos, esta é uma prerrogativa dos que têm atitudes e recusa-se a ser taxado de morno, mediano, acomodado ou viver “Sentado em seu apartamento com a boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar”.

Lembramos sempre de D. Zilda Arnes por seu imenso trabalho com crianças, sua atitude a transformou em uma personalidade eterna, quem não conhece o Sr. Valcir que é lembrado pela luta, incessantemente, para a construção do Hospital do Diabético, se acontecer o empreendimento, certamente receberá seu nome provando que não precisa ser grande ou famoso para ter atitudes e marcar sua passagem pela vida, para esses a vida tem o ciclo pequeno, mas eles engrandecem sua existência com atitudes positivas.

Ter atitudes positivas é o caminho para expurgar a mesmice, é construir uma vivencia ativa sem embaraços, produtiva, cheia êxitos; Possui um Del Rey ou um Monza classic não é demérito para ninguém, a vergonha maior e ver que não se luta para conseguir um veiculo mais atualizado, afinal, a vida paga os prêmios quando se é um vencedor e cobra caro o pagamento pelo fracasso e não cumpre o rito para estar nela.

Qual foi o segredo do sucesso do Dr. Ermírio de Morais, se não suas atitudes, será que Luiz Botina construiu um império sem ter atitudes? A minha casa permanece limpa, se não tiver a atitude de limpa-la? Grandes empresários e os homens de todas as classes têm as mesmas oportunidades.
De um modo geral as pessoas procuram um motivo para a morbidade, “o país não pode entrar em crise que os braços são cruzados”. Mas, sei que, principalmente, o brasileiro não é preguiçoso falta-lhe, apenas, atitudes que é uma ferramenta crucial para agigantar o homem e torna-lo eterno.

Sergio Cunha é radialista, escritor e um Comentarista Simples e Objetivo

Sérgio Cunha
Radialista, escritor, membro da APCDEC (Associação da Crônica Esportiva do Estado do Ceará) e publicitário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *