Home > Blog > Filho, só de olhar você tô me vendo outra vez

Filho, só de olhar você tô me vendo outra vez

Nos últimos meses, tenho escrito crônicas com as mais diversas inspirações: políticas, religiosas, familiares e temas do cotidiano. Hoje, acordei com desejo de falar de uma corda do meu coração e nada melhor, para isso, do que buscar nos filhos a fonte para essa realização.

Quando casei com minha querida Marcilia, já imaginava o que passaria a sentir quando alcançasse o estágio da vida em que estou. Pensava em constituir uma família nos ditames da fé cristã e fazer o melhor. Imaginava os filhos que queria ter e me transformar no pai que deveria ser.

Hoje, com a graça de Deus, tenho quatro filhos maravilhosos, três lindas, carinhosas e competentes mulheres e um varão com as mesmas qualidades. As minhas mal traçadas linhas de hoje vou dedicar ao meu primogênito e no seu nome ampliar minha crônica a todos os pais e filhos.

Os quatro maiores presentes que podemos dar aos nossos filhos são sentimentos, exemplos, raízes e asas. Necessitamos dos sentimentos para vivenciarmos o amor; dos exemplos, porque eles valem mais que mil palavras; das raízes, para aprendermos a valorizar o lugar onde nascemos e nossos antepassados.

Destaco que asas são fundamentais, pois elas tem a função de levar os filhos ao horizonte sem fim da imaginação, levá-los até seus sonhos, mesmo que distantes. São as asas que nos permitem explorar os sentimentos, vivermos os exemplos e aprendermos com nossas raízes.

Há um provérbio que diz: “Bendito aquele que consegue dar aos seus filhos asas e raízes” e eu complemento dizendo que é pobre aquele que transfere apenas um deles. Como pais, devemos sempre procurar transmitir esses ensinamentos.

Hoje é um dia muito feliz e especial, porque comemoramos uma dádiva de Deus. Há 36 anos Ele nos presenteou com esse filho tão amado e que enche nossos corações de felicidade e gratidão.

Ele recebeu como ninguém os nossos ensinamentos e com suas asas tornou-se esse homem inigualável. É sempre muito amoroso, atencioso, inteligente, dedicado, determinado, amigo e, principalmente, leal. É, sem dúvida, nosso orgulho e um tesouro que tenho o privilégio de ser pai! Te amo sempre!

Que o amor de mãe é uma coisa indescritível e que transforma as nossas vidas de cabeça para baixo, não temos dúvida, mas o amor de pai também é assim: mágico, avassalador, transformador e maior que tudo!

Muitos pais escritores encontraram justamente na literatura a melhor maneira de declarar o seu amor por seus filhos e o mais incrível é que as crônicas são lindas e sensíveis. A minha sai do coração e declara todo meu amor ao meu filho.

Para finalizar, transcrevo a letra da música “Filhos”, do grupo Roupa Nova: “Só de olhar você / Tô me vendo outra vez / Criação, meu fruto de paixão / Chega pra cá / Quero brincar com você / Deixa eu ser muito mais / Que um amigo / Quero sentir a sua energia chegar / Deixa eu ter um lugar no seu mundo / Pegue a minha mão / Segue a direção / Dessa luz que eu trago pra você / Só de olhar você / Tô me vendo outra vez /Criação, meu fruto de paixão.

Arruda Bastos é médico, professor universitário, membro da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores e um pai apaixonado pelos seus filhos.

Arruda Bastos
Médico, professor universitário dos cursos de Medicina e Enfermagem, especialista em Gestão em Saúde e Saúde Pública, escritor, radialista, ex-Secretário da Saúde do Estado do Ceará e coordenador do Movimento Médicos pela Democracia.
http://www.portalarrudabastos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *