Home > Destaque > Médicos pela Democracia: Democracia x Morocracia. Por Manoel Fonseca

Médicos pela Democracia: Democracia x Morocracia. Por Manoel Fonseca

O juiz Sérgio Moro resolveu esticar a corda e testar o seu poder, afrontando as leis, no seu afã de destruir um personagem histórico, Lula, na tentativa de impor o seu poder autocrático e quebrar todos os pactos de convivência democrática. Quer instituir a República Judiciária de Curitiba, pois pretende subverter a cláusula pétrea da constituição de que “todo poder emana do povo”, para promulgar que “todo poder emana do Moro”, numa verdadeira morocracia.

Moro fez uma conclamação aos seus partidários, pela mídia social, assumindo um papel político, explicitando claramente que tem um lado, contrário ao Presidente Lula, rompendo com qualquer imparcialidade. Saiu do papel de juiz para opositor político, o que o inabilita para um julgamento sereno e justo. Proibiu a gravação do depoimento, para ter a exclusividade de vazar para a Globo, para que esta tenha a privilégio de editar o que é do interesse do complô jurídico-midiático, visando enxovalhar a imagem do Presidente Lula.

Mas diz o ditado popular que sabedoria demais engole o dono. A exorbitância do poder, a perseguição inescrupulosa e desenfreada ao maior líder popular vivo do Brasil, gerou uma reação firme, ampla, suprapartidária, em defesa da democracia e do Presidente Lula, jamais imaginada pelo juiz de piso e pelos meios de comunicação golpistas, capitaneados pela Rede Globo.

Não adiantou uma juíza, militante anti-petista, decretar o interdito do centro de Curitiba para manifestações de solidariedade a Lula, ameaçando com pesadas multas. Não adiantou a operação de guerra das forças armadas, com manobras intimidatórias e grande contingente de policiais militares e aparatos bélicos. O povo, através de milhares de manifestantes, vindos de todos os recantos do país, ocupou Curitiba, mostrando que não aceita injustiça e arbitrariedade contra um dos seus mais amados lideres.

A força do povo em marcha poderá desmoralizar um juiz inquisidor, parcial, autoritário, que assumiu um papel político de instrumento de achaque da rede globo, da Casa Grande, do grande capital financeiro e das corporações do império americano, pois é um disciplinado e fiel discípulo dos órgãos de repressão e espionagem deste país. O que seria a sua glória, ao prender Lula, pode transformar-se em sua derrota política e Lula sair desta patranha judiciária-midiática bem mais fortalecido e cada vez mais acolhido em mentes e corações de milhões de brasileiros.

Se Moro se achar acuado e não prender o Lula, sai desmoralizado e será, em breve, descartado pelos barões do dinheiro. Se prender o Lula, será execrado pelo resto da vida como injusto, parcial e ditatorial, podendo ser responsabilizado por graves conflitos numa Curitiba ocupada pelo povo que respeita e ama a democracia e o presidente Lula. Moro, pensando em capturar e desmoralizar Lula, pode ter criado uma armadilha para si mesmo e será tosquiado em vez de ser o tosquiador.

O povo, quando toma uma real consciência de uma injustiça, pode se levantar em luta e reescrever a história pelo lado dos oprimidos e injustiçados.

Justiça para todos e para Lula também.

Em defesa do Estado Democrático de Direito.

Fortaleza, 10 de maio de 2017

Manoel Fonseca
Médicos pela Democracia

pab

One thought on “Médicos pela Democracia: Democracia x Morocracia. Por Manoel Fonseca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *