Home > Colunistas > Intolerância: A grande caçada da elite brasileira. Por Sérgio Cunha

Intolerância: A grande caçada da elite brasileira. Por Sérgio Cunha

A elite nada mais é de que uma minoria dominante que tenta a todo instante ditar o ritmo da sociedade e a intolerância é uma atitude inserida na mente humana caracterizada pela indisposição, falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar diferenças de crenças da sociedade.
A formação da elite brasileira teve inicio com a chegada dos portugueses ao país e como uma indumentária não desgrudou mais de nossos corpos. Entre outros momentos da afirmação da mesma foi o “Acordão” do Governo dos Cafés que criou a elite agraria com propriedades que pareciam pequenas repúblicas, somado a um poder de privilégio a elite se distanciou do povo, envernizando os sapatos de alguns emergentes em detrimento de outros. Ainda tivemos a ascensão dos militares que fortificou a concentração da pouca renda existente no país. distanciando o capital das verdadeiras demandas da nação.

Bem fundamentada, a elite também aliada à comunidade internacional e ao grupo de famílias detentora da mídia brasileira: Marinho, Civita, Mesquita, Frias, Saad, Santos e Macedo, a elite segue fazendo elo com o capital mundial. A minoria mandante marca seu território e não permite que o povo entre em avião e nem compre veiculo, mesmo que seja usado. Este tipo de intolerância vem marcando a historia do Brasil e permitindo um atraso e uma temporada maior no terceiro mundo.
Os líderes populistas e nacionalistas estiveram na mira dos “Rifles” da elite brasileira durante toda história da vida nacional, começando por Getúlio Vargas e seguindo por Jucelino Kubichek, João Gulart, Lula e Dilma. Sabemos que esses líderes foram os que mais viraram seus rostos para a maioria de brasileiros e que por isso foram tolhidos pelos elitista.
O Passado não mente e estamos vivendo a continuidade da historia, com a grande caçada, esporte preferido da elite, a um líder popular totalmente cercado por algozes e conspiradores, mas, a coincidência é que como na época de Getúlio o povo está vigilante.
Na verdade temos que reconhecer que a elite é muito organizada na defesa de seus pricipios e estão focados, neste instante, a recuperar tudo que perdeu no governo populista de Lula. Com uma grande caçada humana ela se articula para destruir o líder do PT e parece usar expedientes não éticos.

Sérgio Cunha, o Comentarista Simples e Objetivo

Sérgio Cunha
Radialista, escritor, membro da APCDEC (Associação da Crônica Esportiva do Estado do Ceará) e publicitário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *