Home > Colunistas > Sérgio Cunha: O gigante que baixou a cabeça

Sérgio Cunha: O gigante que baixou a cabeça

Estava eu recolhido em minha alcova, quando passei a refletir situações e acontecimentos do nosso, desafortunado, pais. Nos últimos tempos o Brasil mergulhou em uma crise sem precedentes e sua imagem passou a figurar no mundo como uma nação de “Quinta” com uma classe política venal e achacadora.

Se nossa imagem já apresentava impressões incomodas, como fica agora com os estouros dos escândalos atuais? É certo, que a crise politica está presente em todo o mundo, as diferenças estão na maneira em que foi criada a estrutura do surgimento da nação brasileira, com povos sem visão empreendedora e a precisão do combate a desvios de conduta, uns países são mais eficientes que outros e consegue manter a corrupção em níveis aceitáveis.

Com o aperto a instituições fiscalizadoras a médio e longo prazo poderíamos mudar as estatísticas de corrupção no Brasil, evidentemente que após mudar os valores, para a ética, de nossos dirigentes.

Detalhe:
Apenas os tribunais de contas da União e dos Estados nos custam cerca de R$ 10,8 bilhões ao ano para cumprir essa tarefa. A Controladoria Geral da União, criada em 2001, nos custa outros R$ 843 milhões. Parece muito? Apenas o valor obtido de volta no Petrolão cobriria o orçamento da CGU por 5 anos. Mas estas seguem com suas atuações opacas.

Cheguei à conclusão não existem apenas escândalos, com certeza os nossos são Mega-Escândalos que são os primeiros no ranking mundial e carregamos alguns na mente:
*Os anões do orçamento:
Valor desviado: R$ 800 milhões.
*Descoberto em 2007, o esquema da Operação Navalha
Ao todo 49 pessoas foram presas, incluindo o ex-governador do Maranhão, Jackson Lago
Valor desviado: R$ 1,06 bilhão
*Ainda os casos do “Juiz” Lalau, Jorgina Freitas, Petrolão, Banestado e o maior deles o Lavajato Valor desviado: R$ 42,8 bilhões.
Prejuízo causado: R$ 88,8 bilhões apenas na Petrobrás.

Com mais de dois anos de andamento, a operação Lava Jato apresenta números superlativos. Foram mais de 1.200 processos instaurados, 160 prisões (incluindo prisões temporárias), 52 acordos de delação premiada, 209 acusados, 105 condenados, 5 acordos de leniência, 16 empresas envolvidas e mais de R$ 42,8 bilhões desviados.

Nosso país fora outrora reconhecido como um gigante que andava a passos largos em direção ao pleno desenvolvimento e com imagem de bom futebol, samba e com futuro evolutivo, mas, as más gestões e classe politica, apodrecida, fizeram a nação parar e o gigante baixar a cabeça.

Sergio Cunha é um Comentarista Político Simples e Objetivo

Sérgio Cunha
Radialista, escritor, membro da APCDEC (Associação da Crônica Esportiva do Estado do Ceará) e publicitário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *