Home > Colunistas > O MUNDO EM EBULIÇÃO: Segura que o problema é teu…

O MUNDO EM EBULIÇÃO: Segura que o problema é teu…

Não posso ser partidário de situações, hora, vivido pelo planeta em relação aos dramas da humanidade. Mas, sinto que a historia esta cobrando da Europa suas responsabilidades pelo o fato de ter sido algoz do resto do mundo em seus “Tempos de Gloria”. A Inglaterra se sentia no direito de desembarcar seus navios na costa africana, invadir arrancar e escravizar tribos inteiras, muitas vezes grandes reinos negros, para engaiolar e transportar para longe de seu habitar natural. Com a França, Espanha e Portugal não foram diferentes, a pegada foi a mesma, eles confabularam e dividiram o mundo em fatias como se fosse um simples queijo.

A intolerância europeia ficou muito tempo sem reação do período histórico, deu tempo de sobra para algumas nações surgirem como “Poderosas Metrópoles” a revelia de outras que se tornaram periferia ou terra arrasada.

Segundo a Organização Internacional de Migração, até 3.072 pessoas morreram ou desapareceram em 2014 no Mediterrâneo durante a tentativa de migrar para a Europa. As estimativas globais são de que mais de 22 mil imigrantes morreram entre 2000 e 2014.
Em 2014, 283.532 migrantes irregulares entraram na União Europeia, sobretudo seguindo a rota do Mediterrâneo Central, Mediterrâneo Oriental e rotas dos Bálcãs Ocidentais. 220.194 migrantes atravessaram fronteiras marítimas da UE na Europa Central, Oriental e Ocidental do Mediterrâneo (um aumento de 266% em relação a 2013). Metade deles tinha vindo da Síria, Eritreia e do Afeganistão.
Em 2015 até o mês de setembro, a Organização Internacional de Migração (OIM) afirmou que o número de imigrantes havia batido a marca de 350.000. A Alemanha estimou em 800.000 o número de pessoas que pediram asilo a algum país da União Europeia em 2015. Tudo isso não tem volta e, com certeza, o velho passará por transformações, raciais, culturais e econômicas. A Comunidade da União Europeia, ciente disso, já procura dividir a demanda migrante no continente.

No caso brasileiro, escrevo emocionado, fomos vítimas de uma exploração colonial, muito longe de uma colonização que talvez nos auxiliasse, com uma sanche de ter começado, com mais conforto, a nação brasileira.
“Não souberam colonizar a Brasil”. Felizmente não precisamos cobrar a divida dos Portugueses.
De volta para questão da Europa, no momento atual a África e a Ásia continuam vomitando migrantes, pois, a terra arrasada não mudou, continua arrasada.
Todos os dias, milhares de migrantes e refugiados arriscam chegar à fronteira europeia, com poucas sanches e alguns movidos pela necessidade de escapar da miséria; outros estão fugindo da violência e perseguição em seus países. Suas jornadas são cheias de perigos e aqueles que conseguiram atingir as fronteiras da União Europeia (UE) descobrem que a segurança permanece fora do seu alcance. Recentemente a Inglaterra virou as costas para União Europeia e ignorou o problema,ela que mais arrasou e escravizou na Africa.
Mas eles estão chegando e os dirigentes do Continente Metrópole estão sentido o peso da divida que é muito cara e os ingleses vão ter que quita-la

Sérgio Cunha o Comentarista Simples e Objetivo

Sérgio Cunha
Radialista, escritor, membro da APCDEC (Associação da Crônica Esportiva do Estado do Ceará) e publicitário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *