Home > Colunistas > Republicas, Monarquias, Tiranias e despotismos

Republicas, Monarquias, Tiranias e despotismos

Republicas, Monarquias, Tiranias e despotismos:
“Entrei na historia para entender a atual situação política brasileira”

Quando nos referimos a politica notamos que nada mudou no pensamento de como se comportar nas gestões dos homens, isso mesmo, porque a politica é a arte de gerir pessoas. Nas atuais gestões, os governos pouco se diferenciaram das monarquias, repúblicas e tiranias do antigo mundo, quando os príncipes não mediam esforços para a sustentação e continuação de poder. Mudaram-se apenas os atores e as plateias permaneceram emperradas com o pé em seus ombros travando sua evolução da sociedade.
No inicio da revolução industrial na Inglaterra, houve pensadores ( Adam Smith e John Lucke) que excluíram o povo em função da grande produção de bens e depois os pensamentos de defrontaram com outros, como exemplo o de Karl Marx, uma eterna disputa ideológica que rege os pilares da politica até no momento que estou a escrever : E neste, mesmo, momento para sustentar tudo que comento agora, vem o áudio da tv na sala relatando mais um escândalo na corte, com características de um governo despótico.
No Brasil de Temer a instituição “Estado” parece um estranho no ninho. Hora! Como pode um país, apenas, medíocre e com uma divida social altíssima poder ignorar a existência do estado, o nosso grande arrimo social?
Completamente hibrido, o Governo Pmdbista segue o rumo incerto sendo aparente, somente seu desejo de se sustentar a qualquer custo. Suas ações também apresenta características e sinais distintos, por um lado ele tenta mostrar benevolência com o povo, como uma pequena Democracia, (Liberação de FGTS retido a anos), ao mesmo tempo com atitudes de um monarca ( Aprovação de reformas hostis ao povo) e atitudes despóticas ( Conspiração para se salvar e livrar os seus amigos do malogro). Com esta gestão desastrosa as classes sociais ficam entontecidas e o pé do poder ainda segue no ombro do povo despontar a mobilidade social..
Os poderes sempre foram no mundo, movidos pela coerção, poder financeiro e pouquíssimo pelo carisma e no Brasil está longe de encontrarmos um líder, somente, carismático.

Sérgio Cunha o Comentarista Simples e Objetivo

Sérgio Cunha
Radialista, escritor, membro da APCDEC (Associação da Crônica Esportiva do Estado do Ceará) e publicitário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *