Home > Colunistas > Régis Barros: A gratidão nunca é mentirosa

Régis Barros: A gratidão nunca é mentirosa

São nobres os sentimentos que são verdadeiros e incapazes de serem manipulados. Ao se manifestarem de forma sincera, eles não permitem algumas posturas escamoteadoras, tão comuns nas relações humanas. A gratidão é um desses sentimentos. Quem, de fato, tem gratidão por alguém acaba por expressar esse sentimento no olhar, nos gestos, na fala e no próprio silêncio. A gratidão é soberana e representa um agradecer repleto de amor e afeto. Em relações de interesse, a gratidão nunca imperará, visto que, ela não vincula escambo ou outros tipos de trocas interesseiras. Portanto, eu afirmo que a presença dela – a gratidão – comprova que a relação humana, envolvida na situação, foi altruísta e fortalecida com riqueza de carinho. A gratidão agrega, sempre, boas atitudes e só conseguimos ser gratos com aqueles que nos acolheram nas nossas dores e que partilharam conosco da sua bondade. A gratidão transcende o simples “muito obrigado”, pois, muitas vezes, agradecemos usando a mera formalidade e isso vem repleto de superficialidade. Já a gratidão é de expressão real. Ela não aceita maquiagem nem faz de contas. Como dito por mim acima, aquele que é grato e demonstra a sua gratidão o faz de forma sincera e quem já recebeu a expressão de uma gratidão entende o quanto sui generis é esse sentimento. O mais interessante de tudo isso é que a gratidão possibilita uma progressão constante, ou seja, quem demonstra gratidão poderá receber e ofertar a mesma gratidão. Para tal, basta usar da alteridade e do altruísmo. Basta ser bom e bondoso. Basta ser justo e caridoso. Basta ser amoroso e carinhoso. Basta ser mais humano…

Régis Eric Maia Barros é médico psiquiatra, mestre e doutor em saúde mental

Régis Eric Maia Barros
Médico psiquiatra, Mestre e doutor em saúde mental pela FMRP-USP e membro do Movimento Médicos pela Democracia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *