Home > Colunistas > Luiz Cláudio: Ciro Gomes e o vazio político da aliança PSDB e PMDB

Luiz Cláudio: Ciro Gomes e o vazio político da aliança PSDB e PMDB

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso compreendeu e explicou o acaso do condomínio político-administrativo do presidente Michel Temer (MDB), que tem o PSDB como principal aliado. Fernando Henrique Cardoso procura reconstruir o bloco partidário (PSDB-MDB-PSD-PR-PP-DEM-PTB e outros) de centro-direita sem apoio da maioria da população brasileira, pois a rejeição do atual Governo Federal e do Partido da Social Democracia Brasileira não viabiliza nenhuma candidatura presidencial nesse ano. O presidenciável do Partido Democrático Trabalhista, o ex-ministro Ciro Gomes, deverá adotar agenda política-eleitoral de teor liberal na área econômica, nos próximos dias.

A executiva nacional do PDT deverá reavaliar o discurso trabalhista de defesa dos direitos sociais e da oposição radical ao presidente Michel Temer (MDB), que tem muita semelhança, com o ideário político-eleitoral do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O espectro ideológico centro-esquerda da política brasileira está sob o comando do presidenciável petista, em detrimento do pré-candidato à presidência da República do PDT: Ciro Gomes.

A primeira vez que o ex-governador Ciro Gomes foi candidato à presidência da República, obteve votação de 11% dos votos válidos ou oito milhões de votantes, no primeiro turno do pleito eleitoral de 1998. Ciro Gomes procurou ser a terceira via contra a polarização PSDB versus PT, porém o voto útil contra a reeleição do presidente Fernando Henrique Cardoso foi para o candidato petista (Lula). A inviabilidade política-eleitoral do provável presidenciável tucano, o governador Geraldo Alckmin, representa a grande chance do ex-ministro Ciro Gomes de reposicionamento no tabuleiro geopolítico da sucessão presidencial de 2018.

O PDT deverá dirigir a sua agenda econômica da pré-campanha presidencial, para os setores moderados da classe média brasileira que são favoráveis ao mercado (financeiro), em detrimento da intervenção estatal nas políticas públicas na área da indústria e do comércio. O presidenciável Ciro Gomes (PDT) deverá manter o seu atual contingente eleitoral, com a possibilidade de atrair o voto útil do eleitorado de centro-direita ou anti-populista na área econômica e social, nesse pleito eleitoral de 2018.

Luiz Cláudio Ferreira Barbosa sociólogo e consultor político
Fortaleza, 02 de Janeiro de 2018

pab

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *