Home > Colunistas > Navegar é preciso. Por Manoel Fonseca

Navegar é preciso. Por Manoel Fonseca

“Se não houver frutos, valeu a beleza das flores. Se não houver flores, valeu a sombra das folhas. Se não houver folhas, valeu a intenção da semente”
Henfil

O que ganhamos nesta jornada de luta curta e intensa?
Agregamos muitos colegas médicos e médicas que estavam dispersos. Criamos, junto à categoria médica, núcleos espontâneos de formadores de opinião em vários locais de trabalho. Defendemos a bandeira do SUS, que ficou sempre em nossas mãos. Perdemos a timidez do enfrentamendo, pois antes estavamos dispersos, em relação ao preconceito e intolerancia, à mercantilização da medicina e à privatização da Saúde Publica. Expomos claramente nossas posições contra a precarização do trabalho médico e pela Carreira Médica de Estado. A ética médica foi sempre o nosso norte. Desconstruimos, nas mídias sociais, a imagem falsa da Presidenta do SIMEC e seu grupo de que são defensores da Saúde Pública.
Saimos mais fortalecidos no final da Campanha. Ganhamos a batalha da comunicação, com mais de uma vintena de entrevistas de rádio, nas midias sociais e noticiais favoráveis em jornais.
Estiveram conosco dezenas de jovens da Rede de Médicas e Médicas Populares e criamos pontes com colegas da região do Cariri, Sobral e Sertão Central. Os Medicos pela Democracia se mantiveram coesos e agregaram votos significativos. Companheiros de luta mais antigos tomaram novo ânimo e se reencontraram no caminho. E, certamente, os muitos professores da Faculdade de Medicina, que se ombrearam conosco nesta jornada, recomporão estratégias para estimular uma nova visão de mundo para seus alunos e futuros colegas. Muitas sementes foram lançadas em terra fértil e generosa. Muitos frutos, em breve, poderão ser saboreados. Estar deste lado foi gratificante e um aprendizado de convivência e tolerância politica entre parceiros. A luta sindical é uma das faces da luta por uma sociedade mais justa, mais fraterna, mais generosa e mais democrática.

” …E aprendi que se depende sempre
De tanta, muita, diferente gente.
Toda pessoa é as marcas
De lições diárias de tantas outras pessoas.

É tão bonito quando a gente entende
Que a gente é tanta gente, onde quer que a gente vá.
E é tão bonito quando a gente sente
Que nunca está sozinho, por mais que pense estar.

É tão bonito quando a gente vai à vida,
Nos caminhos onde bate, bem mais forte, o coração”
Gonzaguinha

Estamos juntos
Manoel Fonseca é médico, membro da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores, Academia Quixadaense de Letras é um dos coordenadores do Movimento Médicos Pela Democracia

Manoel Dias da Fonsêca Neto
Médico sanitarista, escritor, ex-secretário da saúde de Fortaleza e um dos coordenadores do Movimento Médico pela Democracia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *