Home > Blog > Minha Gatinha Manhosa. Por Arruda Bastos

Minha Gatinha Manhosa. Por Arruda Bastos

A música é um bálsamo para o nosso coração, e, por isso, grande número de pessoas e casais associam algumas delas a fatos, lugares, encontros e amores. Comigo e Marcilia não foi diferente. A canção que se identifica com o nosso infinito amor vem do tempo da Jovem Guarda e é um grande sucesso de um dos seus maiores representantes: Erasmo Carlos. Ela se intitula “Gatinha Manhosa”.

Na minha época de rapaz, chamávamos de “gatinha” aquela jovem bonita, meiga, carinhosa e que era o broto e alvo da nossa paquera, que fazia o coração bater mais forte sempre que juntos, e era assim que o meu palpitava nos idos de 1974, no início do meu curso universitário, quando conheci, no Campus do Pici da UFC, a minha amada Marcilia.

Como na música de Erasmo Carlos, Marcilia falava baixinho, com ternura e muitas vezes até mesmo dengosa. Diferentemente da letra da canção, não era só para ganhar mil carinhos de mim, mas também porque, desde o início, ela demonstrava toda a sua doçura. Como na música, encontro também que se eu aumento a voz ela faz beicinho e chora baixinho e diz que a emoção dói seu coração. Até hoje é assim, tem os sentimentos a flor da pele.

Marcilia é minha alma gêmea e o amor da minha vida, firme ao defender a família, os seus valores e as suas convicções, uma imensidão de bondade e determinação ao definir o amor como substrato fundamental nas relações entre as pessoas, mas é intransigente no casamento alicerçado com pilares fortes e inspirado na fé em Deus.

O primeiro pilar da nossa abençoada união é o amor. Sem ele nada existiria. O segundo é a renúncia, pois mesmo criados um para o outro, somos seres individuais, temos conceitos e ideologias diferentes. O terceiro pilar é a renovação, pois toda construção, por melhor que seja, precisa sempre de manutenção.

Esses pilares são fundamentais, afinal, sem amor não há renúncia e, logicamente, não haverá unidade e união. Estar sempre unidos nem sempre é um caminho fácil e linear, mas, se analisarmos esses pilares, vê-se claramente que são as manifestações de um casamento na graça de Jesus e Nossa Senhora.

Digo que depois de todos esses anos, cinco anos de namoro e trinta e nove de casados, com a linda família que formamos e todos os momentos que vivemos, posso terminar essas linhas em homenagem a mais um aniversário do meu grande amor plagiando O Tremendão, dizendo: Um dia gatinha manhosa eu prendi você no meu coração / quero ver você fazer manha então sempre presa no meu coração. Quero ver você… Te amo!

Anexos:

Gatinha Manhosa de Erasmo Carlos

Meu bem
Já não precisa
Falar comigo
Dengosa assim…

Briga, só para depois
Ganhar mil carinhos de mim
Se eu aumento a voz
Você faz beicinho
E chora baixinho
E diz que a emoção
Dói seu coração…

Já não acredito
Se você chora
Dizendo me amar
Eu sei que na verdade
Carinhos você quer ganhar…

Um dia gatinha manhosa
Eu prendo você
No meu coração
Quero ver você
Fazer manha então
Presa no meu coração
Quero ver você…(2x)

Arruda Bastos é médico, professor universitário, membro da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores e um eterno namorado da sua amada Marcilia.

Arruda Bastos
Médico, professor universitário dos cursos de Medicina e Enfermagem, especialista em Gestão em Saúde e Saúde Pública, escritor, radialista, ex-Secretário da Saúde do Estado do Ceará e coordenador do Movimento Médicos pela Democracia.
http://www.portalarrudabastos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *