Home > Colunistas > Régis Barros: Até o fim…

Régis Barros: Até o fim…

Hoje, pude viver uma experiência simples, porém plena. Assisti ao primeiro filme de Nárnia com meus filhinhos (Léo e Ben). Expliquei de maneira lúdica a simbologia do filme. Mostrei a importância de sonhar e não desistir. Admiramos os personagens. Entendemos o papel de cada criança e, ao final, eles seriam coroados reis e rainhas por Aslam. Ficamos felizes com a força e a justiça dele, Aslam – o Leão. Disse que ele, em sua bondade, se assemelhava ao “papai do céu”. Ficou claro que os irmãos, futuros reis e rainhas, só poderiam viver se unidos permanecessem e assim o fizeram. Uma terra inóspita dominada por uma rainha branca que fomentava a dor com um inverno cruel. Inverno que simbolizava a carência de amor. Mas, e o amor? Ele cresce assim mesmo. Cresce com os olhares, os gestos e os carinhos. Disse que eles (Léo e Ben) caminharão juntos por todo o percurso da história deles. Se o frio lacunar, proveniente de situações e pessoas más, tal qual a rainha branca, assolá-los, o calor do amor entre eles prosperará. Sempre prosperará. Nessa trajetória, eles nunca estarão sozinhos. Haverá Aslam. Haverá vários outros (humanos e não humanos) para ajudá-los. Haverá eles dois, Léo e Ben. Terminei dizendo que eu poderia ser o Oreius, chefe da guarda dos futuros reis e rainhas de Nárnia. Ao ser questionado por Pedro, se ele estaria junto deles na guerra, Oreius respondeu: “até o fim…”. Eu estarei ao lado de Léo e Ben até o fim!

Régis Eric Maia Barros é médico psiquiatra, mestre e doutor em saúde mental

Régis Eric Maia Barros
Médico psiquiatra, Mestre e doutor em saúde mental pela FMRP-USP e membro do Movimento Médicos pela Democracia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *