Home > Colunistas > Régis Barros: Tempo, mano velho…

Régis Barros: Tempo, mano velho…

O tempo urge. A vida é agora. O eterno pode ser efêmero. Esperar o futuro para ser feliz é um ato criminoso. A felicidade precisa de uma luta no presente. O amanhã é nesse momento. Sempre, o amanhã será hoje! Precisamos perceber que o hoje é quem manda. É no hoje em que vivemos. Deixar para depois é um grave erro. Considerar o tempo como um parceiro fiel é complicado e arriscado. Ele nos prega peças. Talvez, no amanhã, o próprio amanhã não existirá. O futuro do presente e o futuro do pretérito são tempos verbais perigosos. Eles costumam nos trair, visto que, sem notar, acabamos por nos afastar da luta do hoje para planejarmos um futuro duvidoso e incerto. Amanhã, não sei se meu coração estará batendo ou se minha mente estará sã ou se meu corpo estará hígido. Mas, hoje, meu coração bate, minha mente está sã e meu corpo está hígido. Lutarei para ser feliz hoje. É o que devemos fazer. Como dito em Alice no País das Maravilhas, “o eterno poderá ser muito fugaz e pode durar segundos”. Vamos viver agora! Vamos lutar pela felicidade hoje! Vamos nos permitir nesse momento!

Régis Eric Maia Barros

Régis Eric Maia Barros
Médico psiquiatra, Mestre e doutor em saúde mental pela FMRP-USP e membro do Movimento Médicos pela Democracia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *