Home > Blog > Arruda Bastos: A família escolada e o flagra no Papai Noel

Arruda Bastos: A família escolada e o flagra no Papai Noel

No período natalino, o Papai Noel é um dos personagens mais encontrados nos textos alusivos à data. Existem diversas linhas de abordagem do tema. A principal delas trata da supervalorização do bom velhinho e da sua estreita ligação com o consumismo. Observamos também que a figura de Jesus, o aniversariante do dia, é deixando em segundo plano, pois o marketing é voltado só para os presentes e as festas.

Mesmo assim, refletindo sobre o tema, cheguei à conclusão de que o espírito de Noel existe e não está só nos presentes; ele está principalmente nas crianças e também no nascimento de Jesus Menino. Pensando com o coração, ele está na alegria de cada criança que, mesmo carente e sofrida, quando presenteada, encontra forças para transmitir em olhares e sorrisos a pureza de suas almas.

Por isso é que, como Gonzaguinha, digo: “Eu fico com a pureza da resposta das crianças”. O sorriso dos seus rostinhos é, sem dúvida, a resposta e o lenitivo que precisamos para nossa vida de tantas dificuldades. Papai Noel é a alegria do coração das crianças e faz bem ao dos adultos também.

Na véspera do Natal, recordo sempre das palavras do meu saudoso pai: “vamos dormir para que o Papai Noel possa chegar”. Nós ficávamos ansiosos desde cedo, desejando que a ceia terminasse logo e, muitas vezes, contrariando papai, permanecíamos acordados na esperança de flagrar o velhinho. Confesso que nunca consegui, dormia antes de ele chegar. Meus filhos também não, pois aqui em casa Noel sempre foi muito cuidadoso.

Entretanto, passeando com meus netinhos, Levi de 4 anos e Letícia de 6, fiquei surpreso quando o menorzinho descreveu a chegada do Papai Noel no seu quarto. Pela forma minuciosa com que me relatou o inusitado fato e pela riqueza de detalhes, acho até que realmente ele deu um flagra no bom velhinho. Uma prova de que eu não fui tão bom professor de Noel para minha filha Lia como pensava.

E o aniversariante do dia, o principal personagem da nossa festa, vai passar em branco na minha crônica? Absolutamente não! Devemos rezar a Deus pela paz no mundo, saúde e fraternidade. Jesus é o grande homenageado e a sua inspiração faz renascer em nós o amor e a esperança de uma nova vida.

Digo que, no mundo de hoje, repleto de egoísmo, desigualdades, injustiças e violência, só mesmo na pureza e no sorriso das crianças encontrarmos forças para lutarmos por justiça e paz, como Jesus nos ensinou.

Em Marcos 10,13-16 encontramos uma passagem que diz: Traziam-lhes crianças para que as tocasse, mas os discípulos as repreendiam. Vendo isso, Jesus ficou indignado e disse: “Deixai as crianças virem a mim. Não as impeçais, pois delas é o Reino de Deus. Em verdade vos digo: aquele que não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele”.
Feliz Natal!

*Arruda Bastos é médico, professor universitário, membro da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores e um quase Papai Noel.

Arruda Bastos
Médico, professor universitário dos cursos de Medicina e Enfermagem, especialista em Gestão em Saúde e Saúde Pública, escritor, radialista, ex-Secretário da Saúde do Estado do Ceará e coordenador do Movimento Médicos pela Democracia.
http://www.portalarrudabastos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *