Home > Colunistas > José Maria Philomeno: Carnaval é uma festa muito cara

José Maria Philomeno: Carnaval é uma festa muito cara

Se para a grande maioria dos brasileiros o dia de hoje, quarta-feira de cinzas, estampa o desânimo pelo final das folias de Carnaval, por outro lado, para muitos também, é um enorme alívio a retomada da normalidade, da volta do pleno funcionamento dos serviços públicos, das empresas e das atividades econômicas de forma geral. Já que, os cinco dias seguidos de Carnaval(quase uma semana) literalmente param o País. Todos os serviços públicos são comprometidos, empresas e profissionais liberais deixam de faturar, perdem produtividade com a descontinuidade das atividades, trazendo-lhes prejuízos incalculáveis e irrecuperáveis. Tanto que criou-se a máxima que, no Brasil, o ano só começa de verdade depois do Carnaval.

Há aqueles que defendem que o Carnaval proporciona a criação de milhares de empregos temporários, incentiva o turismo e movimenta a economia. Verdade, mas toda esta dinâmica concentra-se em setores como transporte, hospedagem e alimentação, e, mesmo assim, seu impacto maior delimita-se em pontos específicos do País, como as cidades do Rio de Janeiro, Salvador, Recife, e algumas outras em que a festa, histórica e culturalmente é bem mais destacada, e desta forma, tornaram-se destinos principais dos turistas.

Os pouco mais de R$ 6,7 bilhões que o Carnaval movimenta, segundo pesquisas daConfederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), fica muito longe de compensar os estimados R$ 50 bilhões de perdas que os cinco dias seguidos de paralização causam só à indústria brasileira, segundo dados da CNI (Confederação Nacional da Indústria). Se considerarmos o prejuízo suportado pelocomércio e pelos demais setores, como serviços, as perdas totais podem chegar à casa de R$ 100 bilhões.

Com a paralização da atividade econômica o impacto negativo na arrecadação de imposto gira em torno de R$ 20 bilhões – que deixam de retornar à sociedade no custeio de serviços essenciais.  

O Carnaval é uma festa de suma importância, que representa um ato de confraternização de todo o povo. A exteriorização de manifestações culturais e artísticas que representam a formação de nossa sociedade no decorrer de mais de cinco séculos, e, por isto, deve ser valorizado. O carnaval brasileiro é um patrimônio cultural de nossa nação e do qual devemos nos orgulhar.

O que critico é o exagero, a injustificada extensão de três dias de feriados nacionais, paralisando o todo o país a um custo astronômico. Até se justificaria a decretação de feriados prolongados naquelas localidades, entre as já citadas, em que os eventos carnavalescos de fato tem relevante magnitude, mas nas demais localidades poderia se limitar a um só dia.  

Portanto, o Carnaval é maravilhoso, mas da forma que curtimos custa muito caro. Um preço que o Brasil não pode pagar.

José Maria Philomeno é advogado e economista

pab

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *