Home > Blog > Arruda Bastos: Minha tutoria e o mistério da Nathália

Arruda Bastos: Minha tutoria e o mistério da Nathália

Chegamos ao final do ano e, mais uma vez, ao momento da nossa tradicional confraternização. Tudo organizado nas cores verde e vermelho e meticulosamente planejado pelas valorosas alunas Ariany, Rebeka, Letícia, Beatriz, Ana, Renata e Nicolly, com o apoio dos marmanjos da turma, Jonh e Rodrigo. Mas onde está a Nathália para colaborar?

No segundo semestre de 2019, fui abençoado com um grupo de alunos maravilhosos, inteligentes, animados e participativos. Durante meu período de tutor aqui na Unichristus, digo que foi uma das melhores turmas que coordenei. Chegar ao final do ano com esse grau de interação é uma alegria para todo professor. Mas onde está a Nathália para participar?

A tutoria do 4° semestre é uma das melhores da nossa Instituição, as colaboradoras Helena, Paula, Diana e a professora Cláudia comandam, com muita competência, o setor da secretaria; o Dr. Kubrusly, da mesma forma, as metodologias ativas; e meus colegas professores Jobson, Ronaldo, Mustafa, Guilherme, Dulce, Melissa, Tereza, Juracy, Raquel, Mariana, Marina, Jannaina, Lígia e Renata são top 10. Mas onde está Nathália?

Voltando para minha tutoria, e falando dos preparativos para nossa confraternização, veio-me à mente turmas anteriores em que tive a mesma integração e até inspiração para escrever crônicas em sua homenagem: “O estresse tomou conta do meu ser”, em 2017; “A tutoria dos hipocondríacos”, em 2018. Aliás, não tenho de que me queixar pois todas as turmas, com suas peculiaridades, foram excelentes. Mas onde está mesmo a Nathália?

O ano de 2019 vai ficar marcado nos anais da Unichristus. Continuamos ampliando nosso conceito no rol das melhores instituições de ensino do Brasil e, agora, laureados como Centro Universitário #1 do Norte/Nordeste e tudo isso graças ao nosso qualificado corpo docente e discente, um quadro de colaboradores comprometidos e uma direção competente, capitaneada pelo Reitor José Lima de Carvalho Rocha. Mas onde está Nathália?

O projeto ELAM – Estudo da Literatura e Arte na Medicina, envolvendo 40 alunos do curso, foi outra iniciativa marcante e, sem dúvida, o embrião de uma grande evolução no ensino médico. Diga-se de passagem, tudo inspiração de um grupo de abnegados professores da tutoria do 4° semestre, com o apoio do Reitor e da coordenação de extensão. Mas onde está Nathália?

Meus leitores devem, na altura dos acontecimentos, estar se perguntando, e com toda razão, quem é, finalmente, essa tal de Nathália. Começando a esclarecer, seu nome surgiu no início do semestre, quando a competente Helena da secretaria me informou que eu iria receber uma nova aluna que tinha resolvido sua matrícula. Mas qual foi o paradeiro da Nathália?

Asseguro que tudo é um mistério, pois a referida aluna até hoje não apareceu, embora seu nome conste em todas as listas de chamada, na relação para avaliação comportamental e até no “aluno online”. Espero que Nathália esteja bem e almejo que no próximo semestre ela possa aparecer lépida e fagueira para a alegria de todos. Mas onde você foi parar Nathália?

Escrevo esta crônica para marcar mais um ano que passa, para deixar eternizado nessas linhas as alegrias e as conquistas de 2019 e para reforçar a esperança de renovação no ano que está chegando. Que o Deus Menino seja nossa inspiração e que, junto à manjedoura de Cristo, encontremos as forças, a paz e o conforto de que precisamos para enfrentarmos todas as dificuldades que a vida nos impõe. Feliz Natal e um venturoso ano de 2020! Mas, Nathália, onde está você agora?

Arruda Bastos é médico, professor de medicina e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores. Mas onde está mesmo a Nathália?

pab

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *